expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sexta-feira, 30 de julho de 2010

Lila Lula - Até Arnaldo Jabor aderiu a campanha

CBN - A rádio que toca notícia - Arnaldo Jabor


OUÇAAAAAAAAAAAAAAAA

VEJAAAAAAAAAAAAAAAAA

China supera Japão e se torna a segunda maior economia do Mundo


A China tirou do Japão o posto de segunda maior economia do mundo, em resultado de três décadas de forte crescimento, afirmaram autoridades chinesas nesta sexta-feira. Dependendo da velocidade da escalada do câmbio suba, a China caminha para superar também os Estados Unidos e liderar o ranking global por volta de 2025, de acordo com projeções do Banco Mundial, do Goldman Sachs e de outros economistas.
A China chegou perto de superar o Japão em 2009. "A China já é, agora, de fato, a segunda maior economia do mundo", informou Yi Gang, chefe do órgão regulador de câmbio.
A China cresceu 11,1% no primeiro semestre de 2010 sobre igual período do ano passado. A expansão do país vem registrando uma média anual de mais de 9,5% desde que adotou reformas de mercado em 1978.

Fonte: Reuters News

quinta-feira, 29 de julho de 2010

#ligalula contra apedrejamento no Irã

Condenada a morte por apedrejamento, a iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani pode ter sua pena suspensa caso a mobilização internacional convença o governo islâmico.
Corre pela internet um abaixo-assinado para libertar a mulher acusada de adultério. Sakineh nega o crime. Mais de 114 mil assinaturas já foram arrecadadas, entre elas a de brasileiros famosos como Fernando Henrique Cardoso, Chico Buarque e Caetano Veloso.
Agora, surge no twitter a campanha “ligalula” para que o presidente brasileiro seja mais um a entrar em contato com o governo iraniano a fim de interceder por Sakineh.


Liga Lula... Vai... Liga lá...

domingo, 11 de julho de 2010

Junte-se ao debate

Vítimas são sepultadas em Srebrenica, na Bósnia


As homenagens pelo 15º aniversário do massacre de Srebrenica, na Bósnia-Herzegóvina, começaram neste domingo no centro memorial de Potocari com o sepultamento dos restos mortais de 775 vítimas da pior atrocidade na Europa desde a Segunda Guerra Mundial.
No início da cerimônia, foram colocadas flores no memorial, inaugurado em 2003. Dezenas de milhares de bósnios vieram para o ato em longas caravanas de ônibus e carros pelas estreitas ruas da pequena cidade no leste bósnio.
Mais de sete mil homens e meninos muçulmanos da cidade foram mortos por forças sérvias da Bósnia aliadas ao então presidente sérvio Slobodan Milosevic em julho de 1995. O presidente sérvio Boris Tadic participou da cerimônia, no que é considerado um gesto significativo.

Segregação
Durante a guerra na Bósnia, Srebrenica foi designada protetorado da ONU, cuja segurança era mantida por tropas holandesas. Mas as forças sérvias da Bósnia passaram facilmente pelo Exército holandês.
A Corte Internacional de Justiça de Haia, na Holanda, qualifica o massacre em Srebrenica como genocídio. Muitos sérvios na região, no entanto, rejeitam a forma como o massacre é relatado, segundo o correspondente da BBC em Srebrenica, Mark Lowen.
"O povo sérvio é retratado na mídia como tendo cometido genocídio, mas não foi assim", disse Mladen Grujicic, que trabalha para uma associação local que ajuda famílias de vítimas sérvias da guerra.
"Nenhum sérvio contesta que houve um crime em Srebrenica, mas eles ficam insultados quando os números são manipulados", disse ele, adicionando que as vítimas sérvias foram esquecidas.
Apesar das tentativas de superar o passado, Srebrenica continua segregada 15 anos após a tragédia, segundo o correspondente da BBC. Marcando o aniversário do massacre, o primeiro-ministro britânico David Cameron disse que foi um "crime que envergonhou a Europa", apelando para que os responsáveis sejam punidos.
Em março, o parlamento sérvio aprovou uma resolução pedindo desculpas pelo massacre, dizendo que o governo deveria ter feito mais para prevenir a tragédia.
Fonte: Terra

sábado, 10 de julho de 2010

Kiribati é um país engolido pelo mar

Kiribati um arquipélago de 33 ilhas, no Oceano Pacífico. Kiribati é um país engolido pelo mar!
Dentro de 30 a 50 anos os 90.000 habitantes de Kiribati, com razoável certeza terão que encontrar outro país para viver, Kiribati e seu vizinho Tuvalu, são os países mais ameaçados com o aquecimento global no mundo afirma relatório recente do banco Mundial .
Segundo Pelenise, moradora da ilha os vinte coqueiros que separavam sua casa da praia, sobraram apenas dois o restante foi engolido pela maré, além de poços de água doce contaminados pela água salgada que avança sem descanso.

O vídeo abaixo é impressionante, assim como as imagens:



sábado, 3 de julho de 2010

As 10 Nações mais falidas do Mundo

A Somália ficou em primeiro lugar ao somar 114.3 pontos de um total de 120 possíveis. O país registrou outro ano de caos e ausência de leis, com piratas ocupando a costa do país e militantes islâmicos nas ruas da capital Mogadíscio.
O Chade ficou em segundo lugar com 113,3 pontos. Entre os principais problemas do país, a reportagem aponta que um conflito tribal obrigou aproximadamente 200 mil pessoas a deixarem suas casas e que o governo "paranóico" do presidente Idriss Déby tem aumentado os índices de miséria no país.

Na terceira posição, com 111,8 pontos, o Sudão vive às voltas com uma das piores crises humanitárias da atualidade, o sangrento conflito na região de Darfur. Segundo o FP, este ano será decisivo para o país à medida que o sul do Sudão, onde se concentram as maiores fontes de petróleo da nação, realizará referendo em janeiro de 2011 para decidir se continuará uma região autônoma ou proclamará sua independência.

Zimbábue ocupa a quarta colocação no ranking com 110,2 . Segundo o FP, a vida no país melhorou consideravelmente após o presidente Robert Mugabe, que governa desde 1980, aceitar dividir o poder com o opositor Morgan Tsvangirai, o atual primeiro-ministro, em fevereiro de 2009.


A RDC aparece em quinto lugar ao somar 109,9 pontos. A reportagem aponta que o país, apesar de possuir uma das mais abundantes reservas minerais do mundo, sofre historicamente com exploração de suas riquezas, que iniciou com os belgas e hoje segue disputada pelo Exército e grupos rebeldes.



O primeiro país não africano na lista é o Afeganistão, que somou 109,3 pontos. O FP aponta o frágil e fragmentado governo do presidente Hamid Karzai, reeleito em agosto de 2009 em uma eleição marcada por suspeitas de fraude, tem prejudicado os esforços da OTAN no combate ao Talibã e que dificilmente conseguirá ser cumprida a meta de retirada das tropas internacionais do país no meio do ano que vem.


Logo após o Afeganistão, aparece outro país ocupado por forças internacionais, o Iraque, que somou 107,3 pontos. De acordo com a FP, 2 milhões de pessoas deixaram o país devido aos conflitos que sucederam a queda de Saddam Hussein e muitos deles ainda não retornaram.


A República Centro Africana ocupa a oitava posição do ranking com 106,4 pontos. De acordo com o texto da FP, a violência no país deveria ter diminído após os acordos de paz assinados entre rebeldes e governo em 2007 e 2008. Contudo, o país ainda sofre com conflitos e atualmente estaria abrigando o violento grupo rebelde africano Lord's Resistance Army, expulso da Uganda.


A nona posição é ocupada pela Guiné, um pequeno país no oste da África, que somou 105 pontos. Um conflito do poder tomou conta do país após a morte do então presidente em dezembro de 2008, que foi sucedida por um golpe comandado por soldados renegados, que nomearam Moussa Dadis Camara como novo governante. Em setembro de 2009, militares massacraram 150 opositores em um estádio.


Fechando o Tp 10, com 102,5 pontos, aparece o Paquistão, que, segundo o FP é considerado por alguns como o país mais perigoso do mundo. A região norte do país abriga insurgentes do Talibã paquistanês e, provavelmente da Alqaeda, enquanto outros grupos militantes atuam em áreas urbanas. Mais de 3 milhões de pessoas ficaram desabrigadas devido a oprações de contra-insurgência em 2009.










Emergentes deverão responder por 57% do PIB mundial até 2030

A participação dos países emergentes no PIB mundial passou de 38% em 2000 para 49% neste ano e deverá atingir 57% em 2030, segundo o estudo Perspectivas sobre o Desenvolvimento Mundial 2010 – Deslocamento da Riqueza, publicado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) nesta quarta-feira.
O documento não especifica em que ano a contribuição dos emergentes no PIB deve passar a ser maior do que a dos países ricos. Ele analisa as transformações estruturais na economia mundial nos últimos 20 anos, que transferiram o “centro de gravidade econômico do planeta” em direção ao leste e ao sul do globo - dos países ricos que integram a OCDE para os países emergentes - fenômeno que a organização chama de “deslocamento da riqueza”.
“Esse realinhamento da economia mundial não é um fenômeno transitório, mas representa uma mudança estrutural de importância histórica’, diz o estudo.
O número de países emergentes foi multiplicado por mais de cinco durante a década de 2000, passando de 12 para 65 países. A OCDE define como países emergentes as economias cujo crescimento econômico médio por habitante equivale a mais do que o dobro do registrado nos países ricos da OCDE, que foi de 3,75% nos anos 90 e 3% nos anos 2000.
O PIB da China e da Índia cresceu na década de 2000 de três a quatro vezes mais do que a média dos 31 países que integram a OCDE.
No mesmo período, o número de países pobres foi reduzido em mais da metade, de 55 para 25. O estudo divide o mundo em quatro grupos: países ricos, convergentes (emergentes), em dificuldade e pobres.

Fonte: BBC

Portanto, a pobreza continua...
Falta distribuir melhor a renda...

A próxima mira dos Estados Unidos: Afeganistão

Os EUA localizaram quase US$ 1 trilhão em depósitos minerais inexplorados no Afeganistão, muito superiores a quaisquer reservas anteriormente conhecidas e o suficiente para alterar fundamentalmente a economia afegã e o rumo da guerra no país, de acordo com importantes funcionários do governo norte-americano.
Os depósitos anteriormente desconhecidos - que incluem grandes veios de minério de ferro, cobalto, cobre, ouro e metais críticos para a indústria, como o lítio - são tão grandes e incluem tantos minerais essenciais à indústria moderna que o Afeganistão poderia no futuro se transformar em um dos mais importantes centros mundiais de mineração, acreditam as autoridades norte-americanas.
Um memorando interno do Pentágono, por exemplo, afirma que o Afeganistão poderia se tornar a “Arábia Saudita do lítio“, uma importante matéria-prima para a fabricação das baterias usadas em laptops e celulares.
A imensa escala da riqueza mineral afegã foi descoberta por uma pequena equipe de funcionários do Pentágono e geólogos norte-americanos. O governo afegão e o presidente Hamid Karzai foram recentemente informados a respeito, informaram os funcionários norte-americanos.
A economia afegã encolhida por obra da guerra, cuja principal atividade no momento é a produção de ópio e o tráfico de narcóticos, e que depende pesadamente de assistência dos Estados Unidos e das demais nações industrializadas. O Produto Interno Bruto (PIB) afegão é de apenas US$ 12 bilhões anuais.
Funcionários dos governos norte-americano e afegão aceitaram falar sobre as descobertas minerais em meio a um momento difícil na guerra afegã. Enquanto isso, acusações de corrupção e favorecimento continuam a afligir o governo Karzai, e o presidente parece cada vez mais amargurado com relação à Casa Branca.
Assim, o governo Obama está ansioso por notícias positivas vindas do Afeganistão. Mas os funcionários norte-americanos reconhecem que as descobertas minerais certamente terão impactos contraditórios.
Em lugar de propiciar a paz, a riqueza mineral recentemente descoberta poderia fazer com que o Talibã combatesse de forma ainda mais feroz por retomar o controle do país.
Ao mesmo tempo, funcionários norte-americanos temem que a China, faminta por recursos naturais, tente dominar o desenvolvimento da riqueza mineral afegã, o que pode incomodar os Estados Unidos, dado seu pesado investimento na região, Depois de vencer a concorrência pelo desenvolvimento da mina de Aynak, na província de Logar, a China claramente deseja mais, disseram funcionários norte-americanos.
Outra complicação, porque o Afeganistão jamais teve muita indústria pesada, é que o país tem pouca ou nenhuma história de proteção ambiental, tampouco.
Virtualmente desprovido de setor de mineração ou inifraestrutura, no momento, serão necessárias décadas para que o Afeganistão possa explorar plenamente sua riqueza mineral.
Os depósitos minerais estão espalhados pelo país, o que inclui as regiões sul e leste, ao longo da fronteira do Paquistão, que viram alguns dos mais intensos combates na guerra liderada pelos Estados Unidos contra os insurgentes do Talibã.
O grupo de trabalho do Pentágono já começou a tentar ajudar os afegãos a estabelecer um sistema para organizar o desenvolvimento mineral. Empresas internacionais de auditoria que conhecem bem os contratos de mineração foram contratadas para assessorar o Ministério das Minas afegão e dados técnicos estão sendo preparados para envio a empresas multinacionais de mineração e outros potenciais investidores estrangeiros.
O Pentágono está ajudando o governo afegão a iniciar o processo de concorrência para a distribuição dos direitos de mineração, até o final deste ano, de acordo com funcionários norte-americanos.

Notícia retirada do The New York Times

Será que o Afeganistão terá o mesmo destino do Iraque??
Tenho pena do povo afegão...
E os Estados Unidos, hem,??? Não perde nenhuma chance de explorar e depois sair de Tio Sam...

Vídeo - Esta é a África do Sul da Copa - Cidade de lata??

E vem por aí as eleições... E tudo recomeça..

Brasileiro gosta e precisa de circo...


Enquanto isso... os outros não distribuem o pão...
E todos continuam curtindo o circo...
Mas, claro que não tem só esse circo, tem outros bem mais convincentes, que acabam levando a população desavisada a procura de mais "pão" nos lixos...


Paquistão entra em estado de alerta

Será que China e Taiwan vão levantar a bandeira da paz????

China e Taiwan assinaram um pacto comercial para eliminação de tarifas que está sendo visto como o mais importante acordo entre as dois desde a guerra civil que separou os governos, há 60 anos.
Centenas de produtos serão beneficiados pelo Acordo de Estrutura de Cooperação Econômica, que deverá aumentar consideravelmente o comércio bilateral, atualmente em US$ 110 bilhões por ano.
O acordo traz mais vantagens para Taiwan, mas a China está mais interessada em eventuais benefícios para sua longa campanha pela unificação China e Taiwan.
O acordo está sendo creditado aos esforços do presidente taiwanês, Ma Ying-jeou, eleito dois anos atrás com a promessa de diminuir a tensão com o continente.
Atualmente, Taiwan exporta cerca de US$ 80 bilhões para a China, e importa cerca de US$ 30 bilhões do continente.
Sob o novo acordo, cerca de US$ 14 bilhões em produtos taiwaneses terão suas tarifas reduzidas ou eliminadas. As empresas da ilha também vão ganhar acesso a uma série de setores de serviços no continente, entre eles o bancário e o das seguradoras.
No caso da China, apenas US$ 3 bilhões em produtos exportados terão tarifas reduzidas.
Houve protestos nas ruas em Taiwan contra o acordo, mas pesquisas de opinião sugerem que a maioria dos moradores da ilha são favoráveis à medida.
O premiê chinês, Wen Jiabao, já havia dito que seu país “pode abrir mão de nossos lucros porque os compatriotas taiwaneses são nossos irmãos”.
A relação entre os dois lados esteve estremecida durante décadas. Taiwan e a China têm governos separados desde o fim da guerra civil, em 1949.
O local da assinatura do acordo, Chongqing, tem ressonância histórica. O líder comunista Mão Tse-Tung e o presidente nacionalista Chiang Kai-shek fracassaram na tentativa de assinar um armistício na cidade. Chiang foi forçado a fugir para Taiwan em 1949.

Basta saber qual é o verdadeiro jogo da China??? Olhem para trás e para todos os lados povo de Taiwan

sexta-feira, 2 de julho de 2010

China: maior mercado automobilístico do mundo


A China ultrapassou os Estados Unidos pela primeira vez em número de vendas no primeiro semestre, segundo dados divulgados pela General Motors nesta sexta-feira. De janeiro a junho, o mercado chinês teve 1,21 milhão de carros comercializados, 12% a mais que o mercado americano, onde foram vendidos 1,08 milhão de veículos no mesmo período.
O desempenho chinês na primeira metade do ano foi 48,5% melhor do que o registrado em igual intervalo do ano passado. Considerando somente o mês de junho, a alta ante o mês anterior foi de 23,2%.
A China é atualmente o maior mercado automobilístico do mundo, com 13,5 milhões de unidades vendidas no ano passado. O posto foi conquistado dos Estados Unidos, que perdeu a liderança pela primeira vez na história, com 10,4 milhões de carros comercializados.
Fonte: Terra

Matemático russo rejeita prêmio de US$ 1 milhão

O matemático russo Grigori Perelman rejeitou oficalmente na quinta-feira o prêmio de US$ 1 milhão concedido pelo Instituto Clay de Matemáticas (CMI) pela resolução do problema conhecido como conjectura de Poincaré, informou a organização em seu site.
"O Dr. Perelman nos indicou que decidiu rejeitar o prêmio de US$ 1 milhão", disse o instituto. O CMI anunciará como a recompensa será utilizada em benefício das matemáticas. O presidente do instituto, James Carlson, disse ainda que Perelman era um matemático de "extraordinário poder e criatividade".
O excêntrico matemático já havia se ausentado de uma cerimônia em Paris organizada para premiá-lo por ter resolvido a conjectura de Poincaré. Justamente por resolver este problema, Perelman recebeu em 2006 a medalha Fields, considerada o Nobel das matemáticas. Outro prêmio que ele também rejeitou, sem dar explicações.

Conjectura de Poincaré
A conjectura de Poincaré é tão difícil que o Instituto de Matemática Clay, dos Estados Unidos, classificou-a como um dos sete Problemas do Milênio em 2000, prometendo US$ 1 milhão em recompensa para quem solucionasse algum deles. Na época, a solução do problema foi reconhecida como "Avanço do Ano" pela revista especializada Science. Antes disso, Grigory Perelman também tinha recusado um prêmio do Congresso Europeu de Matemáticos, em 1996. A conjectura de Poincaré foi o único dos sete Problemas no Milênio solucionado até agora. Ela foi formulada em 1904 pelo matemático francês Henri Poincaré e é fundamental para se compreender formas tridimensionais. A conjectura afirma que "qualquer variedade tridimensional fechada e com grupo fundamental trivial é homeomorfa a uma esfera tridimensional. Ou seja, num espaço com três dimensões fechado, sem 'buracos' deve ter a forma de uma esfera", segundo informações da BBC.
Fonte: Terra